Ele será a nossa Paz

Na carta do Papa Innocente X São Vicente de Paulo descreveu os efeitos da guerra: …os povos repartidos em fracções; as cidades e as Províncias afligidas pelas guerras civis; as vilas, os povoados, as cidades destruídas, arruinadas, incendiadas; os lavradores impossibilitados de colher o que semearam e não mais semeando para os anos seguintes. Os soldados se entregam impunemente a todos os excessos. Os povos, por seu lado, estão expostos não somente ás rapinas e às pilhagens, mas ainda aos assassinatos e a todo o tipo de torturas. Dentre os habitantes das zonas rurais, que não estão feridos pela espada, quase todos morrem de fome; os sacerdotes, como os outros homens, que a soldadesca não poupa, são tratados desumanamente e cruelmente, torturados e executados, as virgens são desonradas, as próprias religiosas estão expostas à sua libertinagem e ao seu furor, os templos profanados, pilhados ou destruídos; aqueles que continuam de pé são , o mais das vezes, abandonados por seus pastores, de modo que as pessoas estão quase completamente privadas de sacramentos, de Missas e de qualquer outro socorro espiritual…É pouco ouvir falar dessas coisas. É preciso vê-las e constatá-las com seus próprios olhos. (Carta 1539, Coste IV)

Hoje, a guerra e a violência ainda são realidades dolorosas em nosso mundo. Este recanto da Oração tenta, usando as palavras de São Vicente e a Oração do Papa Francisco pela Paz, nos levar mais profundamente em nossos corações enquanto rezamos pela PAZ que desejamos… a PAZ que Jesus trouxe naquele “primeiro dia de Natal”, a PAZ que começa com e em nós… a PAZ que é o próprio Jesus.

Outros artigos