“O único pilar de Deus para Suas obras: o AMOR”

Este ano, em meu serviço como Catequista, o Senhor me permitiu preparar outro grupo de crianças para os Sacramentos da Penitência e da Eucaristia. Ao compartilhar a experiência do meu Ministério na Comunidade, estávamos procurando maneiras de ajudar as crianças e os pais a usar este tempo especial, aprofundar sua fé e experimentar Deus em um mundo secularizado.

Meu desejo era encorajar as crianças, as famílias e os fiéis a escrever e fazer intenções quando viessem à Santa Missa. Fiz isso porque em minha vida experimentei unir minhas intenções com o sacrifício de Jesus.Eu preparo pedacinhos de papelcom uma estampa de cordeiro para que todos que entram na Igreja, especialmente as crianças que se preparam para receber os sacramentos, possam escrever sua intenção, que mais tarde será oferecida ao altar como presente por uma família. Este compromisso é voluntário e uma expressão que implora a Deus que escute o que é pessoal e escondido no coração de todos.

Durante a catequese, antes da celebração da próxima Primeira Comunhão, expliquei às crianças a essência de receber Jesus em Comunhão e a oração de intenções, que é especialmente ouvida por Deus naquele dia. Ouvi um estudante dizer espontaneamente: “Ouça – funciona – eu estava carregando cordeiros para a saúde de minha avó que sofria de câncer e o médico dá esperança, e minha avó está se sentindo melhor”. Outro estudante compartilha: “Realmente funciona – este ano meu pai começou a beber muito, a fazer brigas em casa, e eu rezei por ele e escrevi intenções”. Ele não bebe há 5 meses e há paz em casa”. Houve silêncio na sala de aula, a família feliz do menino no dia da Primeira Comunhão, salvou a vida de uma criança indesejada, a emoção dos pais depois de ouvir as declarações das crianças foi simplesmente silêncio, uma resposta eloquente…

Por outro lado, os testemunhos escritos pelos pais mostram a importância do pedido dos pais ao pároco para preparar e administrar os sacramentos a seus filhos.

“A Primeira Comunhão para a qual nossos filhos estavam sendo preparados este ano foi para nós, pais e filhos, um tempo muito intenso de aprendizagem e de abertura a Deus”. Este é um tempo cheio de incertezas devido à pandemia; nós e as crianças tínhamos medo da doença, mas a oração e a participação na Santa Missa nos deram força enquanto nos esforçávamos para encontrar Deus na Primeira Eucaristia de nossos filhos”. Antes de receber o sacramento, as crianças estavam preparadas para a Santa Confissão durante a Catequese. A primeira confissão que “manteve nossos filhos acordados à noite”, depois de várias práticas, acabou se revelando um remédio para a alma. Era um tempo de silêncio e concentração durante a oração. Após uma longa espera, muitos dias de estudo e preparativos difíceis, chegou o dia tão esperado, um dia cheio de emoções, um dia para o qual a Irmã Bárbara se preparou tão devotada e amorosamente. Graças a seus conhecimentos e esforços, chegamos a este momento tão esperado: a receção da Eucaristia. Vimos a alegria pintada nos rostos de nossos filhos que esperaram com muito amor para receber Jesus em seus corações. Sentimo-nos orgulhosos quando todos tomaram parte ativa na Santa Missa. Foi um dia especial quando abrimos nossos corações mais amplamente ao amor de Deus. Agradecemos a você, Irmã Barbara, por seus ensinamentos e sugestões, por seu sorriso e seu coração, pelo exemplo diário de vida”.

Outro pai escreveu: “Para viver, uma pessoa deve ser nutrida pelo Corpo de nosso Salvador Jesus Cristo”. Nós, pais, o queríamos para nosso filho mais novo Aleksander; queríamos que ele fosse como os outros membros da Santa Igreja e que vivesse realmente à sombra do amor de Deus”. É por isso que esperávamos ansiosamente pela Primeira Comunhão. Tentamos preparar Aleksander para isso, mas percebemos que sem a sábia orientação da Irmã Bárbara, nossos esforços não teriam sido suficientes. Somos gratas às Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, pelo dom do serviço e devoção da Irmã na Catequese”.

Do ponto de vista de meu trabalho catequético, notei a importância da cooperação dos pais. Percebi que a cada ano é necessário um maior esforço, criatividade e compromisso para apoiar o processo de iniciação cristã das crianças. Estou convencida de que fazer a vontade de Deus requer muito esforço e abnegação, mas é também um momento para minha própria reflexão pessoal, aprofundamento de minha fé e confiança em Jesus, a quem agradeço e adoro pelo dom de Seu amor sem limites.

Ir Barbara, Província de Cracóvia, Polônia

Artigos semelhantes

Médio Oriente

A ternura de Deus

Os seis países da província do Médio Oriente têm as suas raízes na Bíblia: “Ciro, rei da Pérsia [IRÃO dos

Ler mais…