Acabar com a violência contra as mulheres.

Comissão da ONU para enfatizar a participação das mulheres e a tomada de decisões na vida pública.

A ONU em Nova Iorque estará normalmente agitada em Março com milhares de participantes na Comissão anual sobre o Estado da Mulher (CSW).   Este ano, a 65ª Comissão será realizada virtualmente.  A Comissão funcionará de 15 a 26 de Março.

 O tema da Comissão deste ano é:

“A participação plena e efetiva das mulheres e a tomada de decisões na vida pública, assim como a eliminação da violência, para alcançar a igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres e meninas”. Este tema coincide com o tema do Dia Internacional da Mulher, 8 de março, que é: “Mulheres na liderança: Alcançando um futuro igual num mundo de COVID-19”.

Figure 1: Image da mulher na ONU

Muitos países liderados por mulheres tiveram respostas fortes à pandemia da COVID-19. Por exemplo, os líderes da Dinamarca, Etiópia, Finlândia, Alemanha, Islândia, Nova Zelândia e Eslováquia foram reconhecidos pela rapidez, determinação e eficácia de suas respostas nacionais à COVID-19.

PARTICIPAÇÃO FILHAS DA DE CARIDADE

As Filhas da Caridade se concentrarão no componente do tema da Comissão relacionado ao fim da violência contra as mulheres.   Elas co-patrocinarão um evento intitulado “os Sem-teto Escondidos: Transformando Trauma em Empoderamento”, com outras ONGs da Família Vicentina e a UNANIMA Internacional. A data e a hora serão ainda determinadas.

Elas co-patrocinarão também, junto com a Associação Internacional de Apresentação e outros, um painel de palestrantes sobre o tema “Transformando estereótipos de gênero”:  Tornar a conversa desconfortável em confortável”.  O evento está provisoriamente programado para 16 de março, mas a data e a hora dependem da aprovação da Comissão.

Figure 2: Image da ONU

As Estatísticas relacionadas à violência contra as mulheres são perturbadoras e muitas fontes indicam que tal violência aumentou durante a pandemia da COVID-19 devido ao estresse financeiro, isolamento e “lockdowns”. As chamadas para linhas de ajuda quintuplicaram em alguns países, de acordo com Mulheres na  ONU.  Dados não-pandêmicos refletem que globalmente, 35% das mulheres sofreram violência física e/ou sexual do parceiro íntimo, ou violência sexual por um não-parceiro.  Quase metade (49 por cento) de todas as vítimas de tráfico humano são mulheres adultas.  Uma em cada 10 mulheres na União Europeia relatou ter sofrido assédio cibernético t desde os 15 anos de idade.  No Oriente Médio e no Norte da África, 40-60 por cento das mulheres sofreram assédio sexual de rua. Pelo menos 200 milhões de mulheres e meninas, entre 15 e 49 anos, sofreram mutilação genital feminina em 31 países onde a prática é prevalecente. (Mulheres na ONU).

Outros artigos