Notícias de Espanha

Quando esperávamos que as nossas vidas começassem a “normalizar”, a terrível guerra na Ucrânia começou aumentando o número de pessoas que estão a ser vítimas de injustiça no mundo e, como consequência, multiplicando a dor e a impotência de todas as pessoas.

Sabemos que um efeito correspondente disto é geralmente um fluxo de solidariedade que, no caso da Ucrânia, é muito grande. Nós, como Filhas da Caridade, recebemos notícias da nossa Superiora Geral da presença da Companhia naquele país e da decisão das comunidades de permanecer e continuar a prestar os seus serviços, na medida do possível, e de responder às necessidades que surgem nesta tremenda crise.  Das diferentes comunidades e serviços, associamo-nos também ao apelo do Papa a todos, crentes e não crentes, para rezarem juntos pela Paz.

Desde o início, as pessoas perguntaram-nos como poderiam colaborar e as diferentes Províncias criaram contas bancárias onde poderiam depositar donativos para ajudar a cobrir as necessidades básicas e urgentes.

  • As escolas estão a realizar campanhas de sensibilização e de recolha de alimentos, roupas quentes, medicamentos, sacos de dormir…
  • A 22 de Março o primeiro grupo de quatro famílias e quinze jovens estudantes chegou a Lanjarón. Duas Filhas da Caridade estiveram presentes para as acolher juntamente com o grupo paroquial Caritas e para ajudar em tudo o que fosse necessário para o acolhimento. Anteriormente, a casa tinha sido preparada durante uma semana para a tornar adequada para esta missão.
  • Em Ávila, a casa foi oferecida para acolher os refugiados. Mas para oferecer um serviço de qualidade, era necessário trabalhar em rede. As Filhas da Caridade, juntamente com o Arcebispado, o Conselho Municipal, a ACCEM, a Cruz Vermelha e a Cáritas uniram forças e algumas forneceram a equipa de psicólogos, outras os assistentes sociais, outras estão encarregadas da logística… Em Cádiz, Murguía, Tui, Rota, Barcelona, Alicante e mais cidades em Espanha as Filhas da Caridade estão a abrir as suas portas para acolher outros refugiados.
  • Imediatamente outra Irmã irá com uma equipa da Caritas da Diocese de Merida-Badajoz para a fronteira polaca, onde trarão um grupo de 25 pessoas.
  • Um grupo de jovens de Gijón e o seu amigo ucraniano partiram para a fronteira eslovaco-ucraniana para apanhar 4 adultos e 2 crianças. No caminho, contactaram as Irmãs de Gijón porque queriam enviar todo o material humanitário que transportavam na carrinha. A Visitadora, através do Conselho Geral, colocou-as em contacto com as Irmãs na fronteira. Serviram como um canal de solidariedade.
  • As cinco entidades – Cepaim, Cruz Vermelha, Apip-Acam e Filhas da Caridade de S. Vicente de Paulo – que trabalham em Aragão com o Governo de Espanha no programa de proteção internacional, tornam-se a primeira receção. Até agora, foram acolhidos 578 ucranianos.

A Sociedade não se poupa a envidar esforços para continuar a responder aos apelos atuais dos nossos irmãos e irmãs sofredores em colaboração com outras pessoas e instituições. Como São Vicente costumava dizer: “O AMOR É INVENTIVO ATÉ O INFINITO”. E tudo isto se torna uma oração confiada ao Pai que tanto ama este mundo.

Artigos semelhantes

España

Novos horizontes

O XI encontro de Espanha, teve lugar na bela cidade de Sevilha de 31 de outubro a 3 de Novembro de 2022, onde fomos acolhidas

Ler mais…