A nova missão em Uzbekistan

A 27 de Novembro de 2020, no 190º aniversário das aparições de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, a Companhia enviou-nos numa nova missão a Tashkent, Uzbequistão, um país asiático fechado e desconfiado dos missionários católicos há muitos anos. É à Virgem Imaculada que confiamos a nova missão e a todos aqueles a quem o Senhor nos envia.

Durante os primeiros 14 dias, fomos encerrados no nosso apartamento, num bloco de apartamentos, devido à quarentena obrigatória após a passagem da fronteira. Passámos estes dias a arrumar o apartamento que nos foi dado e a organizá-lo de acordo com as necessidades da nossa comunidade.

Após este período de isolamento, começámos o nosso ministério juntando-nos à animação do cenário litúrgico dominical na Catedral e dando catequese a vários grupos etários. Cerca de 60 a 100 pessoas da capital e arredores participaram. Após a Santa Missa, além da catequese, as crianças também tiveram tempo para brincar juntas e os jovens reunidos para “adorarem o Senhor” juntos.

Nos dias seguintes, chegámos a paroquianos pobres, visitando-os nas suas casas. Ficámos a conhecer um rapaz e o seu pai que vivem numa sala de serviço com uma área de 2m². Fomos levados pelo Bispo a um casal mais velho e ouvimos a história da sua vida na pobreza. Cuidámos especialmente das crianças com deficiência e que vivem em situações de pobreza e das suas famílias. O Estado não lhes dá assistência, não têm meios de subsistência e são privados de medicamentos e de reabilitação. O próprio Senhor guia-nos para aqueles que mais necessitam de ajuda.

Em Janeiro, quando houve uma pausa da escola, organizámos “Férias com Deus” para as crianças e outra para os jovens. Cada vez mais vinham todos os dias, não só da capital, mas também de aldeias até 1000 km de distância. As reuniões começavam às 10h00 com uma refeição partilhada e terminavam às 16h00. Havia momentos de oração comum, adoração, bordados e preparações culinárias para uma refeição conjunta; um bom aquecimento com música alegre trazia alegria e diversão. Uma das crianças durante a oração disse esta intenção: “Senhor Deus, por favor, não termines este tempo de férias”, que expressou o desejo de muitas crianças de continuarem a vir às nossas actividades organizadas.

Esta experiência encorajou-nos a tornar o sonho das crianças realidade, abrindo uma sala de um dia que as possa acolher durante a semana. Quando chegámos ao Uzbequistão, foi-nos dito que as crianças não podiam vir a esta sala de dia, porque viviam longe e a estrada era perigosa. Contudo, após as férias de Inverno, decidimos tentar e confiámos tudo a Deus para que a Sua vontade fosse cumprida.

O Bispo Jerzy Maculewicz disponibilizou os quartos da Catedral para este fim e, com a bênção de Deus, começámos… 9 crianças vieram à primeira reunião com um documento declarando o consentimento dos seus pais. Actualmente, cerca de 30 crianças vêm para a sala do dia. Fazem refeições, interagem num jogo comum, jogam jogos de mesa integradores, e têm aulas de guitarra, dança e arte; também ouvem conversas espirituais e educativas. Para as crianças, é um momento em que se sentem amadas e aceites. Durante estes momentos, sentem-se seguras e, durante algum tempo, esquecem-se de situações difíceis em casa. Aqui têm comida para comer que infelizmente nem sempre têm em casa.

Pedimos a São Vicente que nos dê força e coragem para enfrentar novos desafios e para continuar a procurar aqueles que são empurrados para as margens da sociedade, para que através do nosso serviço possam sentir que são verdadeiramente filhos de Deus.

Artigos semelhantes

Médio Oriente

A ternura de Deus

Os seis países da província do Médio Oriente têm as suas raízes na Bíblia: “Ciro, rei da Pérsia [IRÃO dos

Ler mais…