“Como sois felizes Irmãs…”

As Filhas da Caridade de Szumilino, Bielorrússia, trazem o carisma vicentino para os confins deste encantador país da Europa Oriental. A Irmã Bernadeta partilhou connosco a experiência das Irmãs no seu ministério com aqueles que são pobres.

Há três Irmãs na Comunidade, uma da Bielorrússia e duas da Polónia. Elas sentem-se presenteadas por Deus pela graça de O servir em pessoas mais pobres. A Irmã Bernadeta recordou espontaneamente uma citação de S. Vicente que diz: “Como sois felizes Irmãs, por terdes sido chamadas a um estado tão agradável a Deus…” (SV, Conferência de 5 de Julho de 1640). Para serdes verdadeiras Filhas da Caridade, “Deveis fazer o que fez o filho de Deus na Terra” (ibid).

As Irmãs visitam as pessoas doentes nas suas casas, servem de catequistas e trabalham na sacristia da Igreja Paroquial. Na medida do possível, todas estão envolvidas em outras formas de serviço que surgem regularmente; a disponibilidade é uma chamada diária.

De entre muitas pessoas pobres que servem, as Irmãs recordam especialmente o homem e a mulher que, devido a doenças crónicas, estão acamados e requerem cuidados constantes. As Irmãs executam os tratamentos necessários para eles. Nas palavras de S. Vicente: “elas são nossos senhores e senhores e que somos indignas de lhes prestarmos os nossos pequenos serviços” (SV, Conferência à CM, #164). Elas evangelizam as Irmãs e os que as rodeiam, ensinando-as a confiar na providência de Deus, a aceitar a vontade de Deus, a ler os sinais dos tempos, a agradecer e a desfrutar do menor bem recebido, e a apreciar o dom do tempo. As Irmãs também acompanham as crianças e os jovens. Para além da catequese, elas organizam vários tipos de encontros para elas.

A cidade de Szumilino é pequena; cerca de 7,5 mil habitantes dão a impressão de uma grande família. Estão ligados não só pela mesma área de residência, mas também, muitas vezes, por laços de parentesco diferentes. Dirigem-se às Irmãs para procurar conselhos sobre como ajudar os seus entes queridos a cuidar das pessoas acamadas, como prevenir e tratar as escaras, como realizar atividades relacionadas com a manutenção da higiene pessoal em casa, etc. As Irmãs também as convidam a rezar juntas pelos seus familiares e pelas coisas e eventos que estão a passar. Algumas das famílias mantêm um contato cordial com as Irmãs, mesmo quando alguém próximo de quem as Irmãs cuidaram, já morreu. O serviço amoroso e a oração unem profundamente os corações.

A experiência das Irmãs diz-nos que só se pode dar aos outros aquilo que já se tem; e, não se trata apenas de bens materiais, trata-se também, acima de tudo, do coração que deve, a cada dia, estar cada vez mais unido a Deus: “Sem mim nada podeis fazer”, diz Jesus (Jo 15,5). Para a Ir. Bernadeta, as ruas de Szumilino são “o caminho mais curto para o Céu”.

Artigos semelhantes

Médio Oriente

A ternura de Deus

Os seis países da província do Médio Oriente têm as suas raízes na Bíblia: “Ciro, rei da Pérsia [IRÃO dos

Ler mais…